VARIAÇÕES

VARIAÇÕES

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

PRA QUE / L. Melodia e R. Augusto

Pra que chorar
Pra que mentir
Pra que morgar
Pra que fugir

Só queria que todos
Tivessem oportunidade
Tivessem guarida
Não precisassem rezar
Pedindo melhores dias
Reclamando migalhas
Vivendo só de agonia

Pra que chorar
Pra que mentir
Pra que morgar
Pra que fugir

Já que tão poucos
Põem o rei na barriga
Gritando guerras e leis
Forjando a morte da vida
Já que nem eu
Nem o diabo tem pressa
De pouco vale a conversa
Só encarando essa briga

Pra que chorar
Pra que mentir
Pra que morgar
Pra que fugir

domingo, 28 de dezembro de 2008

WAVE / Tom Jobim

Vou te contar meus olhos já não podem ver
Coisas que só o coração pode entender
Fundamental é mesmo o amor é impossível ser feliz sozinho

O resto é mar, é tudo que eu não sei contar
São coisas lindas que eu tenho pra te dar
Vem de mansinho à brisa e me diz é impossível ser feliz sozinho

Da primeira vez era a cidade
Da segunda o cais e a eternidade,
Agora eu já sei,
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite vem nos envolver

Agora eu já sei!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

FLORES EM VOCÊ / Edgard Scandurra

De todo o meu passado
Boas e más recordações
Quero viver meu presente
E lembrar tudo depois
Nessa vida passageira
Eu sou eu, você é você
Isso é o que mais me agrada
Isso é o que me faz dizer
Que vejo flores em você

De todo o meu passado
Boas e más recordações
Quero viver meu presente
E lembrar tudo depois
Nessa vida passageira
Eu sou eu, você é você
Isso é o que mais me agrada
Isso é o que me faz dizer
Que vejo flores em você
Que vejo flores em você

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

ENCONTROS E DESPEDIDAS

Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço venha me apertar
Tô chegando
Coisa que gosto é poder partir sem ter planos
Melhor ainda é poder voltar quando quero
Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai querer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim chegar e partir
São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida
A hora do encontro é também despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar.

Milton Nascimento

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

LUZES - Paulo Leminski

Acenda a lâmpada às seis horas da tarde
Acenda a luz dos lampiões
Inflame a chama dos salões
Fogos de líguas de dragões
Vagalumes
Numa nuvem de poeira de neon
Tudo claro a noite, assim que é bom
A luz
Acessa na janela lá de casa
O fogo
O fogo lá no beco e um farol
Essa noite
Essa noite vai ter sol
Essa noite vai ter sol

sábado, 13 de dezembro de 2008

CAIS - Milton Nascimento e Ronaldo Bastos


Para quem quer se soltar invento o cais
Invento mais que a solidão me dá
Invento lua nova a clarear
Invento o amor e sei a dor de me lançar
Eu queria ser feliz
Invento o mar
Invento em mim o sonhador
Para quem quer me seguir eu quero mais
Tenho o caminho do que sempre quis
E um saveiro pronto pra partir
Invento o cais
E sei a vez de me lançar

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

DANÇANDO PARA NÃO DANÇAR


PARA NÃO DANÇAR
FIQUE À VONTADE
SE DEIXE LEVAR
Ed Motta - Dias de Paz

DESESPERAR, JAMAIS

Desesperar, jamais
Aprendemos muito nesses anos
Afinal de contas não tem cabimento
Entregar o jogo no primeiro tempo
Nada de correr da raia
Nada de morrer na praia
Nada! Nada! Nada de esquecer

No balanço de perdas e danos
Já tivemos muitos desenganos
Já tivemos muito que chorar
Mas agora, acho que chegou a hora
De fazer valer o dito popular

Deseperar, jamais
Aprendemos muito nesses anos
Afinal de contas não tem cabimento
Entregar o jogo no primeiro tempo
Nada de correr da raia
Nada de morrer na praia
Nada! Nada! Nada de esquecer

No balanço de perdas e danos
Já tivemos muitos desenganos
Já tivemos muito que chorar
Mas agora, acho que chegou a hora
De fazer valer o dito popular

Desesperar jamais
Cutucou por baixo
O de cima cai
Desesperar Jamais
Cutucou com jeito
Não levanta mais
Desesperar jamais

Ivan Lins e Vitor Martins

sábado, 6 de dezembro de 2008

BOLA DE MEIA, BOLA DE GUDE

Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança
Ele vem pra me dar a mão

Há um passado no meu presente
Um sol bem quente lá no meu quintal
Toda vez que a bruxa me assombra
O menino me dá a mão

E me fala de coisas bonitas
Que eu acredito
Que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito
Caráter, bondade, alegria e amor
Pois não posso
Não devo
Não quero
Viver como toda essa gente insiste em viver
E não posso aceitar sossegado
Qualquer sacanagem ser coisa legal

Bola de meia, bola de gude
O solidário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança
O menino me dá a mão
Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto fraqueja
Ele vem pra me dar a mão

Milton Nascimento

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

TEMPOS MODERNOS

Eu vejo a vida melhor no futuro
Eu vejo isso por cima de um muro de hipocrisia
Que insisti em nos rodear
Eu vejo a vida mais clara e farta
Repleta de toda satisfação
Que se tem direito
Do firmamento ao chão

Eu quero crer no amor numa boa
Que isso valha pra qualquer pessoa que realizar
A força que tem uma paixão
Eu vejo um novo começo de era
De gente fina, elegante e sincera
Com habilidade
Pra dizer mais sim do que não, não, não

Hoje o tempo voa, amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Que não há tempo que volte amor
Vamos viver tudo o que há para viver
Vamos nos permitir

Lulu Santos

FLORES


As flores amarelas nasceram debaixo da minha janela.
Elas trouxeram-me alegria, nova vida e me fizeram sorrir.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

VAPOR BARATO

Oh, sim, eu estou tão cansado,
Mas não pra dizer
Que eu não acredito mais em você
Com minhas calças vermelhas
Meu casaco de general cheio de anéis
Eu vou descendo por todas as ruas
Eu vou tomar aquele velho navio
Aquele velho navio
Eu não preciso de muito dinheiro
Graças a Deus
E não importa...Honey, Baby
Baby, baby, baby...Honey baby

Oh, sim, eu estou tão cansado
Mas não pra dizer
Que eu estou indo embora
Talvez eu volte um dia...eu volto quem sabe
Mas eu preciso
Eu preciso esquecê-la
A minha grande, a minha pequena
A minha imensa obsessão
A minha grande obsessão

Oh minha honey
Baby, baby...Honey, Baby

Composição: Jards Macalé e Waly Salomão

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

AZUL DA COR DO MAR

Ah!
Se o mundo inteiro me pudesse ouvir
Tenho muito pra contar
Dizer que aprendi...

E na vida a gente
Tem que entender
Que um nasce pra sofrer
Enquanto o outro ri...

Mas quem sofre
Sempre tem que procurar
Pelo menos vir a achar
Razão para viver

Ver na vida algum motivo
Pra sonhar
Ter um sonho todo azul
Azul da cor do mar

Tim Maia

SORTE!


PREPARAÇÃO E OPORTUNIDADE.

PARCEIROS NA MÚSICA













Black Jr. e Ingridi Barros



segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

BOM MESMO É CANTAR



Saibam de uma coisa: O bom de não ser famoso (a) é que a gente pode cantar aqui, ali e lá! A gente canta em qualquer lugar. Canta pra uma, pra dez, pra cem ou mil pessoas. Mas se tiver muito mais...a gente agüenta o tranco, hehehehe!
A gente canta no bosque, no shopping, na praça, no bar, no teatro e na tv, basta chamar.Pra cantar não tem tempo ruim.
É o só o Black afinar o violão e mandar ver na animação. Então, a gente solta a voz sem medo de ser feliz.

lita duarte

EM VINIL





No repertório músicas de: Adoniran Barbosa, Cartola, Caetano Veloso, Djavan, Gilberto Gil, Raúl Seixas, Tim Maia, Milton Nascimento e outros.