VARIAÇÕES

VARIAÇÕES

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

FIRMAMENTO / Cidade Negra


O que é que eu vou fazer agora
Se o teu sol não brilhar por mim
Num céu de estrelas multicoloridas
Existe uma que eu não colori
Forte, sorte na vida,
Filhos feitos de amor...
Todo verbo que é forte
Se conjuga no tempo
Perto, longe o que for
Você não sai da minha cabeça
E minha mente voa
Você não sai, não sai, não sai, não sai...
Entre o céu e o firmamento
Não há ressentimento
Cada um ocupando o seu lugar
Não sai não, não sai, não sai, não sai, não sai...
O que é que eu vou fazer agora
Se o teu sol não brilhar por mim
Num céu de estrelas multicoloridas
Existe uma que eu não colori
Forte, sorte na vida,
Filhos feitos de amor...
Todo verbo que é forte
Se conjuga no tempo
Perto, longe o que for
Você não sai da minha cabeça
E minha mente voa
Você não sai, não sai, não sai, não sai...
Entre o céu e o firmamento
Existem mais coisas que julga
O nosso próprio pensar
Que vagam como o vento
E aquele sentimento e amor eterno
Entre o céu e o firmamento
Existem mais coisas do que julga
O nosso próprio entendimento
Que vagam pelo tempo
E aquele juramento de amor eterno