VARIAÇÕES

VARIAÇÕES

domingo, 29 de novembro de 2009

domingo, 22 de novembro de 2009

"É PRECISO AMAR"


"É preciso amar as pessoas
como se não houvesse amanhã
Porque se você parar para
pensar, na verdade não há.
Sou uma gota d´água
Sou um grão de areia
você me diz que seus pais
não entendem
Mas você não entende
seus pais"
Pais e filhos / R. Russo, D. Villa-Lobos e M. Bonfá

domingo, 15 de novembro de 2009

terça-feira, 10 de novembro de 2009

SÉCULO XXI

Há muitos anos você anda em círculos
Já não sabe de onde foi que partiu
Tantos desejos soprados pelo vento
Se espatifaram quando o vento sumiu

Você vendeu sua alma ao acaso
Que por descaso tava ali de bobeira
E em troca recebeu seus pedaços
Cacos de uma vida inteira

Se você, correu, correu, correu tanto
E não chegou a lugar nenhum
Baby, oh baby
Bem vinda ao Século XXI

Você cruzou todas as fronteiras
Não sabe mais de que lado ficou
E ainda tenta, e ainda procura
Por um tempo que faz tempo passou

Agora é noite na sua existência
Cuja essência perdeu o lugar
Talvez esteja aí pelos cantos
Mas está escuro pra poder encontrar

Se você correu, correu, correu tanto
E não chegou a lugar nenhum
Baby, baby, baby, baby, baby
Bem vinda ao Século XXI

Composição: Marcelo Nova e Raul Seixas

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

GITA

Às vezes você me pergunta, porque é que sou tão calado
Não falo de amor quase nada, nem fico sorrindo ao teu lado
Você pensa em mim toda hora, me come, me cospe, me deixa
Talvez você não entenda, mas hoje eu vou lhe mostrar...

Eu sou a luz das estrelas, eu sou a cor do luar
Eu sou as coisas da vida, eu sou o medo de amar
Eu sou o medo do fraco, a força da imaginação
O blefe do jogador, eu sou, eu fui, eu vou...

Eu sou o seu sacrifício, a placa de contramão
O sangue no olhar do vampiro e as juras de maldição
Eu sou a vela que acende, eu sou a luz que se apaga
Eu sou a beira do abismo, eu sou o tudo e o nada...

Porque você me pergunta, perguntas não vão lhe mostrar
Que eu sou feito da terra, do fogo, da água e do ar
Você me tem toda hora, mas não sabe se é bom ou ruim
Mas saiba que eu estou em você, mas você não está em mim...

Das telhas eu sou o telhado, a pesca do pescador
A letra A tem meu nome, dos sonhos eu sou o amor
Eu sou a dona-de-casa, nos Peg-Pags do mundo
Eu sou a mão do carrasco, sou raso, largo, profundo

Eu sou a mosca da sopa e o dente do tubarão
Eu sou os olhos do cego e a cegueira da visão
Eu sou o amargo da língua, a mãe o pai e o avô
O filho que ainda não veio, o início, o fim e o meio

Composição de Raul Seixas e Paulo Coelho