VARIAÇÕES

VARIAÇÕES

domingo, 27 de dezembro de 2009

FOLIA DE PRÍNCIPE

se da minha boca vai ai ai
que da sua boca venha
uma declaração de amor
um beijo apaixonado
seja essa a nossa vênia
o noso boi de reisado

um reizim bem coroado
bate em sua moradia
vem louvando e vem louvado
vem cantando essa folia

eu e meus companheiros
queremos cumplicidade
pra brincar de liberdade
no terreiro da alegria

Composição de Chico César

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

CHICO MENDES

"No começo pensei que estivesse lutando para salvar seringueiras, depois que estava lutando para salvar a floresta amazônica. Agora, percebi que estava lutando pela humanidade."
Chico Mendes / Xapuri 15 de dezembro de 1944 - Xapuri 22 de dezembro de 1988.


"Corre nas veias remar e seguir a viagem,
viver só carece coragem;
esperança que a paz
reine na floresta.
Não venha o fogo queimar,
nem trator correr arrastar,
pra que a vida queira pulsar e correr"

Trecho da música Sertão das Águas / Milton Nascimento

domingo, 20 de dezembro de 2009

FLORES DO MAL

Não me atire no mar de solidão
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos
Não me retalhe em escândalos
Nem tão pouco cobre perdão
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão
Que acabou feito um sonho
Foi o meu inferno, foi o meu descanso
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva
Faz do amor uma história triste
O bem que você me fez nunca foi real
Da semente mais rica, nasceram flores do mal
Huummm...


Composição: Frejat / Guto Goffi

sábado, 12 de dezembro de 2009

SE - PAULO LEMINSKI

SE

NEM

FOR

TERRA

SE

TRANS

FOR

MAR

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

PLANETA ÁGUA


"ÁGUA QUE NASCE NA FONTE
SERENA DO MUNDO
E QUE ABRE UM PROFUNDO GROTÃO
ÁGUA QUE FAZ INOCENTE
RIACHO E DESÁGUA
NA CORRENTE DO RIBEIRÃO..."
Composição: Guilherme Arantes

sábado, 5 de dezembro de 2009

CORAÇÃO LEVIANO

Trama em segredo teus planos
Parte sem dizer adeus
Nem lembra dos meus desenganos
Fere quem tudo perdeu

Ah coração leviano não sabe o que fez do meu
Ah coração leviano não sabe o que fez do meu
Este pobre navegante meu coração amante

Enfrentou a tempestade
No mar da paixão e da loucura
Fruto da minha aventura
Em busca da felicidade

Ah coração teu engano foi esperar por um bem
De um coração leviano que nunca será de ninguém (mas trama)

Composição: Paulinho da Viola