VARIAÇÕES

VARIAÇÕES

sábado, 29 de janeiro de 2011

QUEM TEM A VIOLA


Quem tem a viola prá se acompanhar
Não vive sozinho, nem pode penar
Tem som de rio numa corda de metal
Tem o mar num acorde final

Quem tem a viola prá se acompanhar
Não vive sozinho, nem pode penar
Tem tom de roupa quando seca no varal
Luz do Sol quando cai no cristal

Faz o luar brilhar
E um coração vazio
Voa vadio
Feito uma pipa no ar
Para, para, para
Paparara, parara, paparara... papara
Para, para, para
Paparara, parara, paparara

Quem tem a viola prá se acompanhar
Não vive sozinho, nem pode penar
Tem som de rio numa corda de metal
Tem o mar num acorde final

Quem tem a viola prá se acompanhar
Não vive sozinho, nem pode penar
Tem tom de roupa quando seca no varal
Luz do Sol quando cai no cristal

Faz o luar brilhar
E um coração vazio
Voa vadio
Feito uma pipa no ar
Para, para, para
Paparara, parara, paparara... papara
Para, para, para
Paparara, parara, paparara

Quem tem a viola... quem tem a viola...
Quem tem a viola... não vive sozinho... não vive sozinho
Quem tem a viola... quem tem a viola... não vive sozinho

Pararara...papa...parapa...para
Papara...pararara

Quem tem a viola... quem tem a viola...
Quem tem a viola... não vive sozinho... não vive sozinho
Quem tem a viola... quem tem a viola... não vive sozinho

Pararara...papa...parapa...para
Papara...pararara

Boca Livre
ATELIER - Clique!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

NÓS


Eu... sei que me disseram por aí
E foi pessoa séria quem falou
Você tava mais querendo me ver passar por aí

Eu... sei que você disse por aí
Que não tava muito bem seu novo amor
Você tava mais querendo era me ver passar por aí

Pois é, esse samba é pra você, ó, meu amor
Esse samba é pra você
Que me fez sorrir, que me fez chorar
Que me fez sonhar, que me fez feliz
Que me fez amar

Eu... sei que me disseram por aí
E foi pessoa séria quem falou
Você tava mais querendo era me ouvir cantar por aí

Eu... sei que você disse por aí
Que não tava muito bem seu novo amor
Você tava mais querendo era me ver passar por aí

Pois é, esse samba é pra você, ó, meu amor
Esse samba é pra você
Que me fez sorrir, que me fez chorar
Que me fez sonhar, que me fez feliz
Que me fez amar

Pois é, esse samba é pra você, ó, meu amor
Esse samba é pra você
Pra você sorrir
Pra você chorar
Pra sonhar
Pra você feliz
Pra você amar

Composição de Tião Carvalho

domingo, 23 de janeiro de 2011

APRENDIZ DE FEITICEIRO



Aprendiz de feiticeiro
Aprendiz de feiticeiro
Aprendiz de feiticeiro
Aprendiz de feiticeiro
Aprendi quando criança que além de tudo
Balança
Esse nosso mundo cão
Aprendi que quem não dança, já dançou na sua infância
Senão rock foi baião
Aprendi da importância de não dar muita importância
Ficar com os meus pés no chão
Aprendi que viver cansa, mesmo vivendo na França
Mesmo indo de avião
Aprendi que a desavença é por que sempre
Alguém pensa
Que ninguém mais tem razão
Aprendiz de feiticeiro
Aprendiz de feiticeiro
Aprendi que tudo passa, tomando chá ou cachaça
Tomando champanhe ou não
Aprendi que a descrença, a desconfiança e a doença
São partes da maldição
Aprendi que a ignorância, a sordidez e a ganância
São lavas desse vulcão
Aprendi que essa fumaça a minha janela embaça
Por fora, por dentro, não
Aprendi depressa que a taça do mundo é nossa
E que São Paulo é meu sertão
Aprendiz de feiticeiro

Itamar Assumpção

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

ALTO FALANTE


Eu tenho no coração uma voz de cristal
De um alguém para outro alguém
Com amor e com carinho
Uma mensagem sonora
Um grito celestial
Eu sou um alto falante
Um boa noite cordial
O som do céu estrelado
E da aurora boreal

Eu tenho no coração uma voz de cristal
De um alguém, alguém
Que muito além
Não canta e chora sozinho
Que essa canção oferece a ninguém
Ou pra quem quiser ouvir
Uma canção, atendendo a pedidos
Do meu dorido coração
Uma canção atendendo a pedidos
Do meu dorido coração
Pá rá rá rá rá, pá rá rá rá rá rá
Lá rá lá rá lá rá rá

Moraes Moreira

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

FÉ CEGA, FACA AMOLADA


Agora não pergunto mais aonde vai a estrada
Agora não espero mais aquela madrugada
Vai ser, vai ser, vai ter que ser, vai ser faca amolada
O brilho cego de paixão e fé, faca amolada
Deixar a sua luz brilhar
e ser muito tranquilo
Deixar o seu amor crescer
e ser muito tranquilo
Brilhar, brilhar, acontecer.
brilhar faca amolada
Irmão, irmã, irmã, irmão
de fé, faca amolada
Plantar o trigo e refazer
o pão de cada dia
Beber o vinho e renascer
na luz de todo dia
A fé, a fé, paixão e fé
a fé, faca amolada
O chão, o chão, o sal da terra
o chão, faca amolada
Deixar a sua luz brilhar no pão de cada dia
Deixar o seu amor crescer na luz de todo dia
Vai ser, vai ser, vai ter que ser, vai ser muito tranquilo
O brilho cego de paixão e fé, faca amolada

Milton Nascimento e Fernando Brant

sábado, 8 de janeiro de 2011

TOADA - Boca Livre


Vem morena ouvir comigo essa cantiga
Sair por essa vida aventureira
Tanta toada eu trago na viola
Prá ver você mais feliz

Escuta o trem de ferro alegre a cantar
Na reta da chegada prá descansar
No coração sereno da toada, bem querer

Tanta saudade eu já senti, morena
Mas foi coisa tão bonita
Da vida, nunca vou me arrepender

Morena, ouve comigo essa cantiga
Sair por essa vida aventureira
Tanta toada eu trago na viola
Prá ver você mais feliz

Escuta o trem de ferro alegre a cantar
Na reta da chegada prá descansar
No coração sereno da toada, bem querer

Tanta saudade eu já senti, morena
Mas foi coisa tão bonita
Da vida, nunca vou me arrepender

Vem morena

Vem morena ouvir comigo essa cantiga
Sair por essa vida aventureira
Tanta toada eu trago na viola
Prá ver você mais feliz

Escuta o trem de ferro alegre a cantar
Na reta da chegada prá descansar
No coração sereno da toada, bem querer

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

ANUNCIAÇÃO


Na bruma leve das paixões
Que vêm de dentro
Tu vens chegando
Prá brincar no meu quintal
No teu cavalo
Peito nu, cabelo ao vento
E o sol quarando
Nossas roupas no varal...

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais...

A voz do anjo
Sussurrou no meu ouvido
Eu não duvido
Já escuto os teus sinais
Que tu virias
Numa manhã de domingo
Eu te anuncio
Nos sinos das catedrais...

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais...

Ah! ah! ah! ah! ah! ah!
Ah! ah! ah! ah! ah! ah!...

Na bruma leve das paixões
Que vem de dentro
Tu vens chegando
Prá brincar no meu quintal
No teu cavalo
Peito nu, cabelo ao vento
E o sol quarando
Nossas roupas no varal...

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais...

A voz do anjo
Sussurrou no meu ouvido
Eu não duvido
Já escuto os teus sinais
Que tu virias
Numa manhã de domingo
Eu te anuncio
Nos sinos das catedrais...

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais...

Ah! ah! ah! ah! ah! ah!
Ah! ah! ah! ah! ah! ah!
Ah! ah! ah! ah! ah! ah!
Ah! ah! ah! ah! ah! ah!...

Alceu Valença